Feirão da Resistência retorna neste sábado (14) com edição presencial

Feirão da Resistência retorna neste sábado (14) com edição presencial

O Feirão da Resistência e da Reforma Agrária, que durante toda a pandemia funcionou de forma virtual, retorna neste sábado (14), ao calendário de eventos presenciais de Londrina. Fruto de uma articulação entre o Movimento dos Artistas de Rua de Londrina (MARL), MST e Sindicato dos Jornalistas (Sindijor), o evento segue para o seu quarto ano de realização e reúne cerca de 20 artesãos e artesãs, produtores e produtoras da economia criativa e solidária, produtores da reforma agrária, além de programação cultural.

O Feirão começa às 9h e segue até às 17h, no Canto do Marl, que fica na Avenida Duque de Caxias, 3.241. A vila cultural possui patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic).

A agricultora, moradora do Assentamento Eli Vive e uma das organizadoras do Feirão, Jovana Cestille, classificou o período da pandemia como desafiador. “O Feirão já era um evento tradicional, mas nós precisamos organizar um sistema de vendas on-line, dialogar com o nosso público por meio das redes, e fazer entregas em residência pelos últimos dois anos. Esse retorno ao presencial só é possível agora porque nos cuidamos e cuidamos do nosso público durante esse período”, avaliou.

Feirão da Resistência retorna neste sábado (14) com edição presencial
Foto: Divulgação/MARL

A programação do evento tem início às 9h, com oficina de jardinagem agroflorestal, ministrada por Onair Ruano (Pachamama) e Davi Costa (Eli Vive). Na sequência, às 11h, tem início a Roda de Capoeira Angola, com o grupo CECA, da Casa da Vila.

Ao meio-dia, o coletivo do Marl se organiza para um debate sobre os 10 anos do Movimento de Artistas de Rua de Londrina, em uma conversa sobre a história do movimento e a importância da arte pública. Por fim, às 14h, Janaína Ávila, apresentadora do programa Mundo Sonoro, da Rádio UEL, traz uma discotecagem para o público, que segue até o final da programação.

Além das ações, o Feirão ainda tem lançamento do livro Cianureto, da londrinense Isabela Cunha, e uma oficina de tricotagem coletiva, com o coletivo Tricotaço, que acontece ao longo de toda a programação.

“O Feirão se constitui desde o princípio como um espaço de resistência. Nós nos organizamos junto ao MST na perspectiva de que o público não esteja conosco só para consumir, mas também para encontrar pessoas, ter acesso a trabalhos artísticos da cidade e conhecer o trabalho de produtores e artesãos da nossa região. Retomar o presencial é um momento de resgatar, também, esses nossos objetivos”, concluiu o integrante do Movimento de Artistas de Rua, Josemar Lucas.

Programação Cultural:

9h: Oficina de jardinagem agroflorestal

11h: Roda de Capoeira

12h: Bate-papo “10 nos do Movimento de Artistas de Rua de Londrina”

14h: Discotecagem Janaína Ávila

e ainda:

Lançamento do Livro Cianureto, de Isabela Cunha

Oficina permanente de tricô “Tricotaço”

 

Texto: Assessoria de Comunicação do MARL – Isabela Cunha

Etiquetas

Canto do MARL cultura Feirão da Resistência promic Vila cultural

Fonte: Prefeitura de Londrina